Lição 5

04/07/2010 03:11

NÃO DEIXE A IRA DOMINIAR

 

LEITURA BÍBLICA

(Efésios 4.26-32)

 

TEXTO

"Deixa a ira, e abandona o furor; não te indgnes para fazer o mal". (Salmo 37.8)

 

PALAVRA INTRODUTÓRIA

1.1. A ira é comum a todos: é fato que todas as pessoas têm momentos de ira, de rancor, de raiva. Mas essa situação não deve perdurar por muito tempo.

1.2. A ira é fruto da carne: o Apostólo Paulo fez inúmeras recomendações às várias igrejas através de suas cartas. O crente precisa ater-se a esses maravilhosos ensinos e ficar vigilante; evitando, assim a prática de tais obras.

Consequências da Ira: Como todos os demias pecados, a ira traz consequências. Porque ela desenvolve outras tantas situações prejudiciais ao próximo.

2.1. A ira tem ligações negativas: Ela pode desencadear situações desastrosas que finalizam com a prática do mal, porque está ligada:

  • Ao orgulho
  • À crueldade
  • À malícia e a blasfêmia
  • À desavença

2.2.  A ira traz o juízo de Deus: se o cristão age de modo a dar lugar à ira, essa desenvolve no seu coração o desejo de vingança, o que é muito desegradável a Deus que fará juízo.

2.3. Produzindo frutos indesejáveis: como já foi dito anteriormente, o excesso ou a constância da ira produz frutos indesejáveis, isto é, frutos carnais que prejudicam a vida espiritual.

Argumentos acerca da ira de Deus: Alguém poderá questionar que, sendo a ira um estado condenado por Deus, como então o próprio Deus pode irar? É um claro princípio bíblico que a ira de Deus é completamente diferente da ira do homem em sua natureza.

3.1. Como a ira de Deus se manifesta: a ira de Deus é reconhecida como indgnação irritação contra toda desobediência e iniquidade humana, atitudes que estão extremamente aborrecidas e condenadas por Deus.

3.2. Característica da ira de Deus: manifesta-se também por meio de julgamento e afliçoes (Sl 78.43-51); ninguém pode resisti-la (Sl 76.7); está reservada para os fins dos tempos, para o julgamento final (Mt 5.41; ap 6.17).

3.3. A quem será reservada a ira divina: Deus é longânimo e tardio em irar-se (Sl 103.8; Nm 14.18). Mas Ele tem um tempo determinado para exercer as Suas misericórdias.

3.3.1. Jesus é o escape para o homem: para quem quiser livrar-se do juízo divino ainda existe tempo. O próprio Deus enviou seu Filho para livrar o homem do castigo eterno, da ira vindoura (Rm 3.23-25).

 

CONCLUSÃO

O crsitão é renovado para produzir o fruto do Espírito, para viver em novidade de sua união e paz com todos. Mesmo que seja levado a situações que produzam ira em seu coração, não deverá alimentá-la para causar danos ao próximo.


Neste momento acessados