Lição 6

04/07/2010 03:12

VINGANÇA VERSUS PERDÃO

 

LEITURA BÍBLICA

(Samuel 18.7-9)

 

TEXTO

"Minha é a vingança eu darei a recompensa, diz o Senhor". (Hebreus 10.30a)

 

PALAVRA INTRODUTÓRIA

É próprio do se humano sentir o desejo de vingar-se quando é ofendido de vingar-se quando é ofendido por alguém. O primeiro desejo de quem sofre uma ofensa é "pagar com a mesma moeda". Parece que isso trará um prazer como de uma conquista ou vitória. No entanto, tal pensamento não é coerente com o espírito cristão (Lc 9.52-55).

1.1 Conhecendo um pouco mais: vingança é desforra. é dar ao ofensor um tratamento à altura do que foi recebido pelo ofendido.

1.1.1 O que gera o desejo de vingança: vários são os motivos que podem gerar o desejo de alguém vingar-se: uma decepção, uma perda, a inveja, o ciúme, a injustiça, uma derrota, até mesmo um mal-entendido.

1.1.2 O processo da vingança: esse mau sentimento permanece quando é motivado. Depois de gerada, a vingança desencadeia uma série de outros sentimentos que vão aumentando o desejo de se concretizar o ato.

1.2 O desejo de vingança é pecado: aqui não se está tratando do fato de alguém procurar defender-se, até mesmo se for necessário tomar certas providências mais sérias como, por exemplo, recorrer a meios jurídicos para resolver certas causas.

1.3 Resultados da vingança: a Bíblia registra vários casos de pessoas que tentaram praticar, ou mesmos praticaram vingança.

É possivel dizer não à vingança: quando a pessoa tem um próposito firme de servir a Jesus, dá lugar ao Espírito Santo para que Ele conduza sua vida. Nessa condição, ela aprende a entregar seus problemas, ofensas, afrontas e tudo o mais ao Senhor para que Ele próprio exerça o devido juízo.

2.1 O exemplo de José: depois de tudo o que lhe fizeram seus irmãos, José não só teve sobejas razões para agir, como também condições e situação para revidar todo mal sofrido.

2.2 Davi também superou o sentindo de vingança: motivado por uma idéia sem limites o rei Saul por várias vezes, intentou matar o jovem Davi porque este, ao retornar vitorioso das batalhas, era aplaudido pelo povo (1 Sm 18.7-9).

2.3 É necessário perdoar: são conhecidos, em nossos dias, muitos casos de pessoas que têm sofrido sérias agressões e até mesmo perdas irreparáveis.

Vivendo no tempo da graça: alguém poderá perguntar por quê antigamente era dada ao homem a oportunidade de vingar-se? São dadas aqui umas poucas explicações com objetivo de clarear as idéias, mas não se trata do assunto com a profundidade que ele requer.

 

CONCLUSÃO

De tudo o que foi escrito, fica bem claro que o desejo de vingança é pecado que mina o coração e cria outras situações piores como a ira, o rancor e o pior, a consumação de uma ação má e perversa. Ninguém deve exercer justiça com as próprias mãos, porque a vingança pertence a Deus. O Senhor Jesus ensinou o caminho do perdão. Quando alguém libera perdão, além de praticar o bem ao seu ofensor, também o pratica a si mesmo, porque será liberto da ira, do mau humor, da tristeza e dos ressentimentos.


Neste momento acessados