Lição 7

04/07/2010 03:13

O MEDO DESTRÓI OS SONHOS

LEITURA BÍBLICA

(Mt 14.22,24-31)

 

TEXTO

"Na caridade não há temor, antes a perfeita caridade lança fora o temor". (1 João 4.18a)

 

PALAVRA INTRODUTÓRIA

O medo é uma expresão emoicional própria do ser humano. Ele é provocado por uma série de motivos. Às vezes, motivos com fundamentos. Outras, porém, por motivos infundados. A verdade é que, até certo ponto, o medo é positivo. Mas pode tornar-se nocivo se não for controlado.

O medo é uma emoção própria de todo ser humano. Ninguém vive sem sentir medo em certos momentos da vida.

1.1 O que é medo: como todas as outras emoções, é uma expressão afetiva acompanhada de reações intensas e breves do organismo.

1.2 Influência cultural: o homem é dotado de sentimentos e emoções que se expressam através das reações orgânicas aprendidas. A respostas do organismo a uma sitação pode ser dada sob diversas formas.

1.3 Como entander o medo: nos dias atuais, o medo tem dominado uma grande maioria de pessoas. Assaltos, violência, desemprego, enfermidades antes nunca vistas, insegurança, medo de uma guerra atômica e até calamidades que têm assolado o mundo têm causado o pânico por todas as partes.

1.3.1 O medo como mecanismo de defesa: é normal e saudável sentir medo quando esse representa proteção, quando afasta a pessoa de situações perigosas.

1.3.2 O medo prejudicial: é aquele que prejudica a expressão afetiva, ou também aquele medo infundado, isto é, que não tem razão de ser ou ainda aquele medo que prêve o mal sem razão.

O que o medo pode causar: o medo pode apresentar-se em níveis ou graus variados: em nível bem fraco é chamado de receio, isto é, uma simples apreensão contra possíveis danos.

2.1 Quando o medo se manifesta: sempre existe uma causa que provoca o medo. Mesmo que essa causa seja infundada.

2.2 Medos infundados: Ainda existem outras manisfestações de medo que precisam ser observadas para serem evitadas ou extipadas. O medo distorce os valores, traz dúvidas, confusão, desconfiança e até enfermidades.

2.3 As fobias: é um medo irracional e obsessivo ou a certas situações. Às vezes, as fobias são resultados de acontecimentos na infância e se apresenta em situações específicas como: altura, trovâo, escuridão e etc.

Vencendo o medo: Exitem meios os quais podem ser usados para que o medo seja debelado.

3.1 Deixando os temores desnecessários: o cristão não pode se deixar levar pelo medo. Não pode fugir à sua realidade de filho de Deus, que recebe constantemente proteção do Pai.

3.2 Vivendo no temor do Senhor: temor, nesse caso, toma outro significado. Não quer dizer medo e sim respeito, honra, reverência, aceitação e reconhecimento (Is 8.13; Sl 19,9; 111.10; Pv 10.27; 19.23). O temor do Senhor é ordenado aos crentes (Sl 22.23).

3.3 Banindo o medo: o medo é uma falta de confiança na grandeza e no amor de Deus. O salmo 91 é um cântico que descreve a seguraça daquele que confia no Senhor. O salmista exprimentava a presença de Deus em sua vida. É o que cada crente deve fazer também.

 

CONCLUSÃO

O medo existe. É real. Contudo, podemos evitá-lo. O medo não traz solução para os problemas. Ao contrário, ele desvanece os sonhos, neutraliza e inibe o pontencial, e faz o homem regredir em seus intentos. O medo traz fraqueza e incapacidade; o medo impede o crente de ser útil na obra de Deus. O medo provoca irritação e insegurança. Mas a palavra de Deus trasmite paz (Sl 119.165). Na Palavra de Deus, o crente encontra promessas de socorro e de segurança (ICr 28.20; Sl 28.8; Jo 16.33). Confiemos, pois nas palavras benditas do nosso Deus.


Neste momento acessados