Lição 9

10/08/2010 08:44

 

A MALDIÇÃO DEVE SER REJEITADA

 

LEITURA BÍBLICA

(Tiago 3.2,3,5-9)

 

TEXTO

"Abençoai aos que vos perseguem, abençoai, e não amoldiçoeis". (Romanos 12.14)

 

PALAVRA INTRODUTÓRIA

O assunto ora tratado traz controvérsias porque está ligado à maneira de crer de cada um. Alguns acreditam que a maldição é hereditária, isto é, passa de pais para filhos. Outros pensam que é castigo de um Deus carrasco que, por qualquer motivo, amaldiçoa o homem. Outros ainda proferem maldições por vingança para quem se torna seu inimigo.

1.1 O mal que pode estar na palavras: em consequência de palavras insensatas, dura e desprovidas de misericórdia, muitos males acontecem. Lares são destruídos, filhos abandonados, amizades são desfeitas, corações magoados, pessoas amigas decepcionadas porque: "A palavra dura suscita a ira" (Pv 15.1b0). As palavras podem anular ou alimentar a ação de Satanás.

1.2 A palavra também traz efeitos benéficos: assim como certas palavras produzem o mal, da mesma forma a palavra sábia pode produzir o bem. É como disse o sábio rei Salomão: "Do fruto da boca de cada um fartará o seu ventre: dos renovos dos seus lábios se fartará". A morte e a vida estão no poder da língua; e aquele que a ama comerá dos seu fruto".

1.3 O uso indevido da língua: O apostólo Tiago preocupou-se com a postura do cristão quanto ao uso da língua. Ele enfatiza a língua como instrumento que se, usado erradamente, causará grandes estragos. Mesmos sendo um membro minúsculo, torna-se algo monstruoso.

1.4 O fruto da maldição: o sentido básico da palavra maldição é injúria, desgraça, infortúnio, calamidade. Maldição é pois, a legalidade dada ao diabo para causar dano à vida de alguém. É uma autorização dada através das palavras que se expressa contra outra pessoa.

2.2 Palavras abençoadas - bom fruto: As palavras do cristão devem ser continuamente de bêncãos como aposotólo Paulo recomenda: "Não saia da vossa boca nenhuma palavra torpe, mas só a que for boa para promover a edificação para que dê graça aos que a ouvem".(Ef 4.29).

2.3 Não espalhe sementes de maldição: Como já foi dito, nossas palavras semeiam bênçaos ou maldição. Portanto, é muito temerário amaldiçoar.

2.3.1 Não amaldiçoe a si mesmo.

3.1 Rejeitando a maldição: Se existe a consciência de maldição que se repetem, é preciso expulsar esse mail, quebrar as correntes, desfazê-las, impedir que o mal se repita.

3.2 Maldição - um fato ou um mito?: existe, de fato, cadeia de maldição para as famílias? Como é que tal coisas funciona? Em Provérbios 26.2 está escrito que "A maldição sem causa não se cumpre".

3.3 Semeando bênçãos: Na qualidade de filho de Deus, o crente está debaixo da bênção e, enquanto permancer nesse abrigo estará protegido da maldição.

 

CONCLUSÃO

Jesus abençoou multidões, abençoou seus discípulos, as criancinhas e até seus próprios inimigos. O crente deve imitar esse belo exemplo, porque a sua palavra também expressa poder, e abençoar todos aqueles que estão sob seus cuidados, em seu redor. Expressemente, pois, abençoar seus filhos, seus pais, seus vizinhos, as autorirades, o seu bairro, a sua igreja, enfim, o seu país. Você se sentirá uma pessoa feliz porque também será abençoada.


Neste momento acessados